carlos pereira

Carlos Pereira, um dos participantes actualmente a pedalar nos eventos cicloturisticos com mais idade

Já são muitos os anos que ando de bicicleta, e sempre lembro de ver uma figura amiga a pedalar. Lembro de quando o Grupo Desportivo de Barcarena organizava os seus passeios, em que ele ia ajudando aos mais necessitados. Gostando sempre de pedalar com o seu passo certo lá no meio do pelotão.

Passados muitos anos, é com alegria que ainda vejo o Carlos. Apesar das suas 79 primaveras, este continua a pedalar. Mantendo sempre a sua pedalada.

O ciclo-turismo e a bicicleta, estão cada vez mais provado, que têm ajudado muita gente. Pois, têm mantido em forma física e mental a muitos praticantes. Se analisarmos os eventos, podemos encontrar pessoas com idades já avançadas, a pedalarem e fazer muitos quilómetros, muitos sem grande dificuldade. É bom que isso aconteça, e melhor seria, se melhores condições fossem criadas.

A curiosidade esteve atrás da orelha, e num desses passeios abordamos no final ao Carlos Pereira. Para assim tentar saber algumas coisas sobre ele e o que pensa das bicicletas.

Conversa com o Carlos Pereira

O Carlos confessa na conversa que tivemos: “estive 28 anos a trabalhar na Madragoa, sendo a bicicleta o meio de transporte. Ia sempre a pedalar, para estar preparado para fazer algumas clássicas como o Porto/Lisboa, o Caldas, a Serra da Estrela, entre outras. O meu treino era ir de casa para o trabalho e vice-versa. Como também, fazer sempre um circuito de 10 Km”. Mas confessa que tanto o Grupo como os amigos, também o ajudaram muito.

Com muitos quilómetros nas pernas ao longo dos anos, também confessa que chegou a fazer um pouco de competição. Uma vez nos Sassoeiros até ganhou uma taça ao ficar em 7º lugar e a tem lá em casa bem guardada como recordação, juntamente com muitas lembranças. Mas o Carlos Pereira, recorda com alguma emoção aos 79 anos, o passeio que foi fazer a Beringel recentemente. Neste ficou fascinado com Cuba do Alentejo, e os 60 Km do trajecto que foram feitos de uma forma diferente e maravilhosos.

O Carlos Pereira confessava-nos: “desde que iniciei na modalidade nunca faltei, a minha foi feita há muitos anos para mim. É a minha companheira, e ainda me lembro, que me custou 1500 escudos na altura há cerca de 40 anos. É a primeira bicicleta que tive, é a minha favorita, um Reynold 53. Preparo-a sempre muito bem, cuido bem dela, mantenho-a sempre afinada. Não só ela, eu também ando muito a pé e de bicicleta lá em Barcarena. Todos os dias pedalo, e aos domingos sempre que não há passeios vou pedalar. Vou até Cascais, faço o Guincho, a Malveira da Serra, encontro muitos amigos e vou com eles.”.

Já na final de conversa, o Carlos Pereira dizia: “desejo a todos que cheguem aos 79 anos a pedalar. E que para o ano estejamos novamente a pedalar neste passeio da Junta de Santa Isabel, dos rapazes de Campo de Ourique. Assim como que outros apareçam também quando tiverem 79 anos e possam também aqui falar”.

Pensamento final

Carlos Pereira é um jovem de 79 anos, a sua grande paixão é a bicicleta, a sua menina como ele lhe chama é uma das coisas mais importantes da sua vida. Aposentado, não passa um dia sem andar nela, a mesma que lhe dá vida e força para viver, o Carlos foi muitas vezes meu companheiro de pedaladas, um amigo e grande homem, nesta pequena homenagem quero referir que as mesmas devem ser feitas e relembradas quando os homenageados estão vivos, por isso aqui fica a minha, ou a nossa, já que o Carlos Pereira possui sem duvida muitos amigos, e de mim como de todos, vão os parabéns pela sua dedicação ao ciclo-turismo, à bicicleta, e à sua camaradagem