5 dicas para melhorar o seu desempenho ao andar de bicicleta.

Independentemente de você ser jovem ou velho, atlético ou sedentário, andar de bicicleta é uma maneira agradável e saudável de viajar e experimentar o ar livre. Feito vigorosamente, dá o coração e ao sistema circulatório um treino e pode queimar mais de 500 calorias por hora. O desenvolvimento de novos tipos de bicicletas, nomeadamente híbridas, que combina a velocidade de uma bicicleta de estrada e a robustez de uma bicicleta de montanha, tornou o passeio mais fácil e oferece mais opções para atender às suas necessidades específicas. Além do mais, os ciclistas agora têm mais lugares por onde andar. Assim sendo, hoje tenho para vocês algumas dicas de como melhorar o seu desempenho ao andar de bicicleta.

  • Use capacete

Mais de 6.000 ciclistas procuram cuidados de emergência para lesões na cabeça todos os anos nos EUA, e trauma de cabeça representa 75 por cento das mortes por ciclismo. Usado correctamente, capacetes de bicicleta são quase 90 por cento eficazes na prevenção de lesões cerebrais. Escolha um capacete que atenda aos padrões da Comissão de Segurança dos Produtos de Consumo dos EUA. Ou, procure um adesivo da Fundação Memorial Snell ou da Sociedade Americana de Testes e Materiais. Escolha uma cor brilhante e um capacete que se encaixa confortavelmente.

  • Certifique-se de que encaixa no seu quadro

Comprar uma bicicleta nova? Para encontrar o tamanho do quadro direito para o seu corpo. Em uma bicicleta de estrada, deve haver uma a duas polegadas de folga entre a virilha e o tubo superior. Em uma bicicleta de montanha, a folga deve ser de pelo menos duas polegadas. Seu guidão deve ser uma polegada menor do que o seu topo do assento. Compre a sua bicicleta de um revendedor respeitável que irá ajudá-lo a encontrar a moto certa e se encaixam.

  • Escolha o assento certo

Os assentos rígidos e estreitos nas motos de corrida podem ser particularmente desconfortáveis para as mulheres, que tendem a ter “ossos sentados” amplamente espaçados. Selas especiais anatómicas – mais largas e mais almofadadas nas costas – são fáceis de instalar. Selas ou almofadas ou almofadas de pele de carneiro podem aliviar a pressão e fricção. Posicione a sela de forma que seu joelho fique ligeiramente dobrado na parte inferior de cada rotação. Se ele está dobrado demais, o assento é muito baixo; Se o joelho bloqueia quando estendido, ou você tem que alcançar o pedal, o assento é muito alto. Ajuste a posição “para a frente” do assento e certifique-se de que o assento está nivelado (ou que o nariz é ligeiramente mais alto).

  • Vista-se confortável

Se você ciclo muito, considere usar um par de calções de ciclismo lustroso. Eles têm menos tecido para rugas ou bando, por isso há menos chance de irritação da pele. Para protecção extra, escolha calções de ciclismo sem costuras na virilha e forro especial para afastar a transpiração.

Se você usar pedais clipless, vai precisar desgastar seu calçado de ciclismo com um grampo cabido. Eles travam num mecanismo nos pedais, segurando os sapatos no lugar. Estes podem ser um pouco difícil de se acostumar, mas ajudá-lo a pedalar mais poderosa e eficientemente.

  • Com luz, mas não forte

Evite andar à noite. A maioria das mortes ocorre entre as 18h e as 21h. Se você deseja andar em condições de pouca luz, use roupas coloridas e reflexivas e coloque fita reflexiva em seu capacete e bicicleta (na verdade, essas são estratégias inteligentes a qualquer hora do dia).

Além disso, instale um farol forte ou um pisca pisca de luz vermelha na cauda. Você pode anexar a luz estroboscópica à sua bicicleta ou seu cinto para tornar mais fácil para os outros vê-lo à noite ou quando a luz está baixa.


Produtos de ciclismo ao melhor preço com MaisCupão

Para muitos de nós, encontrar os melhores produtos de ciclismo é um pouco complicado. Por isso, hoje eu trago a solução perfeita para essas situações graças a MaisCupão. Depois de dar uma olhada em vários sites com ofertas, MaisCupão foi o mais me convenceu para encontrar produtos de ciclismo ao melhor preço.

Primeiro de tudo, você deve saber que MaisCupão é uma plataforma de códigos de desconto. Actualmente disponível em 4 países: a Espanha, o México, Portugal e a Argentina. Aqui você vai encontrar um grande número de cupões de desconto, às vezes aplicáveis ao site inteiro e outros a produtos específicos.  Assim sendo, o seu principal objectivo é que os usuários vai a poupar o máximo possível.

No meu caso eu usei a Web principalmente para obter descontos em equipamentos desportivos que normalmente têm um preço elevado. Porém, você também pode encontrar cupões para poupar em moda, electrónica, casa, beleza e muito mais!

Conheças as melhores lojas de ciclismo

Como mencionei anteriormente, alguns itens desportivos não são muito baratos, mas graças a este site que eu tenho poupado algum dinheiro comprando online  tudo o que precisava. Uma das lojas que eu mais gosto é Probikekit, porque ele tem uma variedade de opções no seu catálogo enorme: https://www.mascupon.com.ar/tiendas/codigo-descuento-probikekit/

A próxima loja que eu tirou muito partido é Skin, uma loja que também tem muita variedade de itens de desporto e que eu gosto muito, e por isso estou muito grato por estar presente em MaisCupão: https://www.mascupon.es/tiendas/ofertas-skins/. Outra jóia é Chain Reaction Cycles, outra loja especializada em bicicletas, https://www.mascupon.com.mx/tiendas/codigo-promocional-chain-reaction-cycles/.

Finalmente, não posso deixar de mencionar BikeInn! Como amante do ciclismo é daquelas lojas que não pode faltar no repertorio: https://www.maiscupao.pt/lojas/codigo-promocional-bikeinn/.

Espero que este post tenha sido útil para poupar em todas suas compras por MaisCupão. Se você já usou a plataforma e você quer dar a sua opinião não hesita em deixar um comentário.


BayCycle

BayCycle: usar a sua bicicleta sobre a água

As bicicletas são um dos meios de transporte mais nobres no mundo. Com este, podemos desfrutar das cidades, florestas, estradas, campos, desertos, praias, rios … Rios? Pois sim, o BayCycle é um acessório de bicicleta fenomenal, que lhe permite pedalar sobre o água.

Quando lemos isso, não podemos pensar noutra coisa mais que: é uma loucura! No entanto, o BayCycle fez realidade essa loucura. Uma possibilidade que qualquer pessoa com uma bicicleta pode desfrutar em qualquer rio, lagoa, lago ou baía do mundo. Vamos conhecer este acessório!

O que é BayCycle?

No planeta terra, a água ocupa 71% da superfície total. No mundo todo, mais de 1.000 milhões de bicicletas são usadas regularmente. Com esta informação, o criador deste acessório investigou e desenvolveu a resposta para que a pedalagem não acabe.

O BayCycle é uma ligação flutuante para transformar qualquer bicicleta numa bicicleta de água. É, em outras palavras, um dispositivo capaz de fazer com que as bicicletas possam continuar o seu caminho, navegar através de qualquer curso de água, pequena ou grande.

É um dispositivo, de fácil montagem flutuante e anexável com quaisquer bicicletas modelo no mundo. É capaz de gerar propulsão na água, mantendo à tona e endereço durante a navegação. Tudo isso, enquanto os pedais cavaleiro como se passando pelo asfalto.

Até agora é um projecto que procurou obter financiamento através da plataforma Indiegogo, mas sem sucesso. No entanto, é uma ideia que ainda está a ser trabalhada pelo seu criador, que, sem dúvida alcançará no futuro muito sucesso.

Como é que este acessório para bicicletas?

O BayCycle é um muito fácil de usar acessórios. É duas bóias insufláveis de alta resistência e resistência, que apresentam um sistema de arnês que bicicleta, tudo o que se adequa ao seu modelo. Após a montagem do sistema no chão, se enchem os flutuadores com energia gerada a partir da pedalagem, deixando operacional e pronto para entrar na água e continuar a viagem.

A roda traseira transmite a sua rotação provocada pela pedalagem normal do piloto, o suficiente para as hélices irá avançar a energia em ciclo flutuante agora. Por outro lado, a roda dianteira gira naturalmente como o faz no chão, controlando o sistema de propulsão e flutuação a rodar no sentido desejado.

Uma vez que se trata apenas de um projecto, ainda se desconhece o peso e o preço.


bicicleta de montanha

Dicas para comprar uma bicicleta de montanha

Dicas sobre como escolher a ordem dos componentes

É quase impossível comparar todos os componentes de uma bicicleta de montanha no momento da compra. Mas devemos considerar pelo menos estas dicas. A ordem pela qual penso começar seria: suspensão dianteira, amortecedor traseiro em caso de suspensão dupla, frente e alterações posteriores e, finalmente, as rodas, é componentes desafiadores que permitem uma escolha pessoal.

Em todos estes componentes é preciso levar em conta o fabricante que deve ser reconhecido e o preço.

Dicas os travões de disco ou V-brakes

Actualmente, e por muitas razões, no momento de comprar uma bicicleta de montanha não existe discussão sobre os travões. Impuseram-se os travões a disco, embora cada um tenha as suas vantagens e desvantagens.

Nos dias de hoje só se encontram bicicletas com travões de aro chamados V-Brakes, sendo quase relegado este tipo de travões a montagens de bicicletas de montanha personalizadas.

Dicas sobre tubeless ou câmaras

Ao comprar uma bicicleta de montanha temos de ter em conta os pneus, e por isso devemos ter sistemas de rodas muito conscientes de que não levem câmara, os chamados tubeless. Este sistema irá oferecer-nos mais desempenho do pneu que o tubo tradicional. Apesar da maior complexidade na montagem e manutenção.

Com a configuração correta, o desempenho será muito maior, especialmente para aqueles que tradicionalmente colocam alta pressão para as rodas para evitar furos.

É altamente recomendável para comprar a nossa bicicleta de montanha se escolhemos a opção tubeless, a eleição de um líquido selo de qualidade. Neste ponto, devemos seguir o conselho do vendedor da loja de bicicletas. Deverá ter em conta a pressão da inflação correta para a bicicleta de montanha.

Conselhos sobre o factor preço

Os preços na compra de uma bicicleta de montanha podem flutuar significativamente durante o ano. A principal temporada de compras é entre a primavera e o verão. Se você tiver sorte o suficiente para ser capaz de esperar esse tempo, você pode obter melhores preços, geralmente no outono e no inverno, você pode poupar uns euros.

Além disso, você também vai encontrar um monte de lojas de bicicletas que oferecem descontos quando compra o modelo do ano passado, o que normalmente acontece nos primeiros meses do ano.


ciclistas iniciantes

Dicas para ciclistas iniciantes

Há milhões de pessoas ao redor do mundo que andam de bicicleta e esses números estão a aumentar cada ano. Com mais e mais pilotos nas trilhas e estradas, estas dicas para ciclistas iniciantes irá ajudá-lo a andar de uma melhor e mais seguro forma.

Proteja a sua cabeça

Muitas mortes poderiam ser evitadas se todos usassem um capacete durante o ciclismo. Há regras que é imprescindível respeitar e esta é dessas.  Pode não ficar giro ou ficar despenteado. Mas a sua vida é mais importante que o seu aspecto. Assim que compre um bom capacete e use-o.

Não pedale em alta velocidade por longos períodos de tempo

Você deve tentar e manter a sua cadência entre 70 e 90 rpm’s. Quando você pedala numa engrenagem alta está a colocar tensão adicional sobre você os seus joelhos. Por isso, não deve abusar dos seus joelhos.

Mude de posição durante a condução

Mova as suas mãos em torno das barras, e mova a sua extremidade traseira ao redor da sela. Isto impedirá as suas mãos, braços e parte traseira de ficar dormentes devido ao tempo prolongado em uma posição dada.

Conheça as regras

Passeio com o tráfego e obedecer todos os sinais de trânsito. Olhe atentamente a todos os carros na sua frente e lados. Assim você pode tentar antecipar o que estão a fazer. É muito importante manter a distância entre você e os carros, o mínimo recomendável um metro e meio. Por vossa segurança respeite essa distância.

 Mantenha a sua cabeça erguida

Mantenha o seu olhar na sua frente, o suficientemente longe para que você possa reagir a quaisquer obstáculos na estrada ou no ombro na frente de você. Coisas como grades de drenagem de tempestade são muito ruins para pneus finos de bicicleta de estrada.

Não ande com os auscultadores ligados

Pode ser extremamente perigoso se você não ouvir um veículo de emergência ou outras comoções atrás de você. Você precisa de saber o que está acontecer a sua volta, deve estar alerta para assim ter tempo de reacção necessário. Se você tem que ter música, pegue um pequeno clip-on rádio com um alto-falante que você pode anexar a sua camisa.


carlos pereira

Carlos Pereira, um dos participantes actualmente a pedalar nos eventos cicloturisticos com mais idade

Já são muitos os anos que ando de bicicleta, e sempre lembro de ver uma figura amiga a pedalar. Lembro de quando o Grupo Desportivo de Barcarena organizava os seus passeios, em que ele ia ajudando aos mais necessitados. Gostando sempre de pedalar com o seu passo certo lá no meio do pelotão.

Passados muitos anos, é com alegria que ainda vejo o Carlos. Apesar das suas 79 primaveras, este continua a pedalar. Mantendo sempre a sua pedalada.

O ciclo-turismo e a bicicleta, estão cada vez mais provado, que têm ajudado muita gente. Pois, têm mantido em forma física e mental a muitos praticantes. Se analisarmos os eventos, podemos encontrar pessoas com idades já avançadas, a pedalarem e fazer muitos quilómetros, muitos sem grande dificuldade. É bom que isso aconteça, e melhor seria, se melhores condições fossem criadas.

A curiosidade esteve atrás da orelha, e num desses passeios abordamos no final ao Carlos Pereira. Para assim tentar saber algumas coisas sobre ele e o que pensa das bicicletas.

Conversa com o Carlos Pereira

O Carlos confessa na conversa que tivemos: “estive 28 anos a trabalhar na Madragoa, sendo a bicicleta o meio de transporte. Ia sempre a pedalar, para estar preparado para fazer algumas clássicas como o Porto/Lisboa, o Caldas, a Serra da Estrela, entre outras. O meu treino era ir de casa para o trabalho e vice-versa. Como também, fazer sempre um circuito de 10 Km”. Mas confessa que tanto o Grupo como os amigos, também o ajudaram muito.

Com muitos quilómetros nas pernas ao longo dos anos, também confessa que chegou a fazer um pouco de competição. Uma vez nos Sassoeiros até ganhou uma taça ao ficar em 7º lugar e a tem lá em casa bem guardada como recordação, juntamente com muitas lembranças. Mas o Carlos Pereira, recorda com alguma emoção aos 79 anos, o passeio que foi fazer a Beringel recentemente. Neste ficou fascinado com Cuba do Alentejo, e os 60 Km do trajecto que foram feitos de uma forma diferente e maravilhosos.

O Carlos Pereira confessava-nos: “desde que iniciei na modalidade nunca faltei, a minha foi feita há muitos anos para mim. É a minha companheira, e ainda me lembro, que me custou 1500 escudos na altura há cerca de 40 anos. É a primeira bicicleta que tive, é a minha favorita, um Reynold 53. Preparo-a sempre muito bem, cuido bem dela, mantenho-a sempre afinada. Não só ela, eu também ando muito a pé e de bicicleta lá em Barcarena. Todos os dias pedalo, e aos domingos sempre que não há passeios vou pedalar. Vou até Cascais, faço o Guincho, a Malveira da Serra, encontro muitos amigos e vou com eles.”.

Já na final de conversa, o Carlos Pereira dizia: “desejo a todos que cheguem aos 79 anos a pedalar. E que para o ano estejamos novamente a pedalar neste passeio da Junta de Santa Isabel, dos rapazes de Campo de Ourique. Assim como que outros apareçam também quando tiverem 79 anos e possam também aqui falar”.

Pensamento final

Carlos Pereira é um jovem de 79 anos, a sua grande paixão é a bicicleta, a sua menina como ele lhe chama é uma das coisas mais importantes da sua vida. Aposentado, não passa um dia sem andar nela, a mesma que lhe dá vida e força para viver, o Carlos foi muitas vezes meu companheiro de pedaladas, um amigo e grande homem, nesta pequena homenagem quero referir que as mesmas devem ser feitas e relembradas quando os homenageados estão vivos, por isso aqui fica a minha, ou a nossa, já que o Carlos Pereira possui sem duvida muitos amigos, e de mim como de todos, vão os parabéns pela sua dedicação ao ciclo-turismo, à bicicleta, e à sua camaradagem


FPCUB

Mega concentração de ciclo-turistas em Santarém organizada pela FPCUB

A Federação Portuguesa de Ciclo-turismo e Utilizadores de Bicicleta, FPCUB, deu mais um grande passo em frente no passado dia 9 de Novembro. Isto devido à organização no passeio de ciclo-turismo do Festival Bike, que ligou Lisboa a Santarém. Assim como, juntou mais de um milhar de participantes.

Dia 9 de Novembro, Lisboa acorda com temperaturas muito baixas e coberta com um forte manto de nevoeiro. A concentração para o passeio “Festival Bike” estava marcada para as 8 horas no Parque das Nações. Confirmadas as inscrições, os preparativos iam sendo feitos, as bicicletas preparadas, a zona ficava repleta de bicicleta, ciclo-turistas e acompanhantes.

Com algumas dificuldades no início, provocadas pelo forte nevoeiro e o frio, as mesmas foram ultrapassadas pelos participantes com o andamento. E  com o aparecimento do sol, o qual começou a surgiu na zona de Alhandra, e acompanhou todos os participantes até Santarém, onde os mesmos chegaram cerca das 12 horas, debaixo de muito calor, com um dia maravilhoso.

Um pouco de história:

Com 22 anos de existência, a FPCUB possui um trabalho notável área do cicloturismo, onde possui um longo e vasto calendário anual. Este recheado de excelentes eventos, uns organizados pela instituição, outros pelos seus imensos associados.

Apesar de estar planeado desde meio do ano, apenas a 2 meses da sua realização o evento avançou, sendo feita uma divulgação intensiva, já que os objectivos eram tentar juntar o maior número de participantes, levando os mesmos até Santarém, e dando a conhecer o Festival Bike, o mundo das bicicletas e acessórios.

Objectivos conseguidos, e de parabéns está mais uma vez à FPCUB pelos números atingidos, e pelo impacto que o evento teve, já que há muito, eu próprio não assistia e não via. Quase 1000 participantes saíram do Parque das Nações, ao longo do caminho, muitos cicloturistas se juntaram à caravana, vi muitos grupos entrarem, e alguns com mais de 20 ou 30 ciclistas, em Santarém acabaram por chegar mais de 1200.

São números que temos de reflectir, são dados que se existirem algumas dúvidas, as mesmas podem ser tiradas com estes resultados.

Foi sem dúvida um belo passeio, com objectivos concretizados, em 2009 esperamos novas pedaladas, onde uma certeza fica, a de poder estar presente, e puder fazer a sua divulgação, até lá, ficam os votos de bons passeios, e para finalizar aqui fica um breve resumo dos locais mais importantes por onde passamos, já que ciclo-turismo, é a bicicleta mais o turismo, a parte cultural também faz parte da modalidade, bons passeios…

Os principais locais:

Lisboa:

Lisboa é uma das mais antigas cidades da Europa, tendo sido fundada há mais de três milénios. É juntamente com Setúbal, Alcácer do Sal e algumas cidades do Algarve a mais antiga de Portugal e também a segunda mais velha capital da União Europeia, após Atenas, mais antiga por quatro séculos que Roma.

A sua história circula à volta da sua posição estratégica na foz do maior rio da Península Ibérica, o Tejo. Isto por o seu porto natural ser o melhor para o reabastecimento dos barcos que fazem o comércio entre o Mar do Norte e o Mediterrâneo. Além da sua proximidade no extremo Sul e Ocidente da Europa, com os novos continentes da África Subsahariana e da América.

Existem vestígios de ocupação humana na área que hoje é Lisboa de há muitos milhares de anos, atraídos pela proximidade do rio Tejo. Os primeiros habitantes humanos da região teriam sido os Neandertais, extintos há cerca de 30.000 anos pela chegada à Península do Homem moderno. Durante o período Neolítico, os povos Iberos da região construíram os megalitos de função religiosa, tal como os restantes povos da Europa Atlântica: dólmenes, menires e cromeleques terão sido comuns, e alguns ainda sobrevivem hoje na zona.

Vila Franca de Xira:

Vila Franca de Xira é uma cidade portuguesa no Distrito de Lisboa, região de Lisboa e sub-região da Grande Lisboa, com cerca de 18 400 habitantes. Pertencia ainda à antiga província do Ribatejo, hoje porém sem qualquer significado político-administrativo.

No lugar do actual concelho de Vila Franca de Xira existiram ao longo da Idade Média e até meados do século XIX quatro concelhos distintos – o de Povos (hoje uma povoação da freguesia de Vila Franca de Xira), Alverca, Alhandra e Vila Franca; em 1855, porém, estavam todos integrados no actual concelho de Vila Franca.

Manteve disputas territoriais com Loures pela posse de Santa Iria de Azóia, que fizera parte do concelho de Alverca, mas fora integrada em 1886 no concelho de Loures. Em 1916 separou-se de Santa Iria de Azóia a freguesia da Póvoa de Santa Iria, que em 1926 passou definitivamente ao concelho de Vila Franca.

Em Vila Franca se deu, em 1823, o movimento revoltoso da Vilafrancada, levada a cabo pelo Infante D. Miguel contra a Constituição de 1822. Na sequência desses acontecimentos, Vila Franca de Xira foi renomeada para Vila Franca da Restauração; o nome, contudo, não durou, posto que após o fracasso da Abrilada, no ano seguinte, voltou à forma original.

Azambuja:

A Azambuja é uma vila portuguesa no Distrito de Lisboa. Pertencia ainda à antiga província do Ribatejo, hoje porém sem qualquer significado político-administrativo. De notar, que até 2004, o concelho da Azambuja fazia parte da Área Metropolitana de Lisboa.

É sede de um município com 261,66 km² de área e 21 748 habitantes(2006), subdividido em 9 freguesias. O município é limitado a norte pelo município de Rio Maior, a nordeste por Santarém, a leste pelo Cartaxo, a sueste por Salvaterra de Magos, a sul por Benavente e Vila Franca de Xira e a oeste por Alenquer e pelo Cadaval.

Cartaxo:

O Cartaxo é uma cidade portuguesa. Conta a lenda que, a Rainha Santa Isabel, em busca de paz de espírito e contacto com o Ser Divino, passou por onde hoje é a cidade, pelas terras do “bairro”, Aí terá repousado e saciado a sua sede, num local onde encontrou sombra e uma fonte. Estando em repouso, deparou-se com um bonito chilreio que ecoava pelos ares em seu redor. Tendo observado melhor terá reparado que para além de cantarem de forma linda, estas criaturas voadoras eram também em si lindos, formosos e galantes.

A rainha, tendo avistado uns camponeses que se dirigiam para ali, indagou-lhes que pássaros eram aqueles. Os camponeses responderam-lhe, dizendo que eram cartaxos. A rainha agradeceu e perguntou-lhes que lugar era aquele, ao que eles responderam que era o Lugar da Fonte. Então, a rainha disse para que todos lhe pudessem ouvir: “Pela Graça de Deus, pelo poder que me foi atribuído, que este Lugar da Fonte se passe a chamar de agora em diante Lugar de Cartaxo. Que seja assim para toda a eternidade, e que todas a gente saiba. Assim se faça de acordo com as leis dos homens sob a presença de meu marido o muito nobre o rei Dom Dinis e de acordo com as regras do Deus Nosso Senhor Todo-o-Poderoso, que ordena sobre o Céu e sobre a Terra”.

Tendo dito isto, partiu, prosseguindo o seu caminho em direcção ao Lugar de Almoster, demandando na sua peregrinação o mosteiro aí existente, o Mosteiro de Almoster.

Santarém:

Santarém é uma cidade portuguesa, capital do Distrito de Santarém. Santarém, antiga Scalabis, foi conquistada em 1147, por D. Afonso Henriques. Num golpe audacioso, perpetrado durante a noite, a cidade caiu na posse de um escasso exército reunido pelo Rei de Portugal. Esta cidade muito antiga terá sido contactada por Fenícios, Gregos e Cartagineses. A fundação da cidade de Santarém reporta à mitologia greco-romana e cristã, reconhecendo-se nos nomes de Habis e de Irene, nas suas origens míticas. Os primeiros vestígios documentados da ocupação humana remontam ao século VIII a.C..

A população do povoado teria colaborado com os colonizadores romanos, quando estes aportaram à cidade em 138 a.C. e a designaram como Scalabis. Durante este período tornou-se no principal entreposto comercial do médio Tejo. Assim como, um dos mais importantes centros administrativos da província Lusitânia. Dos romanos recebeu o nome de Scalabi Castro.